Vírus do Papiloma Humano (HPV) – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

O Vírus do Papiloma Humano (HPV) é uma doença de transmissão sexual (DST), que ocorre quando há um contágio após uma relação sexual sem proteção. Pode afetar de igual maneira, tanto a homens como a mulheres, portanto, a precaução para evitar o contágio de DST e aids, tem de ser tida em conta por ambos.

Vírus do Papiloma Humano HPV

Por outro lado, o Vírus do Papiloma Humano, é uma doença que tem uma elevada percentagem da população sexualmente ativa afetada em algum momento de sua vida, por isso, voltamos a enfatizar a importância da proteção nas relações sexuais para evitar esta doença sexualmente transmissível. A saúde sexual requer um amplo exercício de conscientização social, em que a prevenção seja o principal protagonista.

SINTOMAS

Normalmente, as áreas onde aparecem as lesões causadas pelo HPV são, no caso das mulheres, a vagina e, no caso dos homens, o pênis. Que estas áreas sejam as mais comuns, não implica que não haja outras, tudo vai depender da prática sexual que utilize cada casal.

No caso das mulheres, podem ser incluídas outras áreas como o ânus ou a cavidade oral. Tudo vai depender de se a mulher pratique sexo oral no seu parceiro infectado, seja homem ou uma mulher, ou se recorre à penetração anal durante suas relações sexuais.

O Vírus do Papiloma Humano é muito desconfortável e irritante.

Seguindo a mesma linha das mulheres, os homens também podem ter lesões de HPV no ânus e na boca. No primeiro caso se refere aos casos de homens homossexuais que têm contraído esta doença por manter relações sexuais anais. As lesões orais não dependem da orientação sexual de cada pessoa, já que se podem apanhar tanto se uma mulher tem lesões na vulva como se um homem tem o pênis.

DIAGNÓSTICO

DIAGNÓSTICO DO HPV EM HOMENS

Saber se um homem tem o HPV é muito mais fácil do que se trata-se de uma mulher. No caso dos homens, aparecem umas pequenas verrugas no pênis, ânus ou cavidade oral, que costumam ter aparência de uns pequenos pontos vermelhos. No mesmo momento em que o homem começa a perceber os sintomas, deve ir ao médico, não pela sua própria saúde, mas a de seu parceiro.

Quando um homem vai com pequenas verrugas, o médico o examina e faz-lhe perguntas para ver se é possível que se trate de uma doença sexualmente transmissível. Normalmente, costuma identificar que se trata de uma erupção causada pelo HPV para a forma e o tipo de verrugas. Embora muitas vezes é assintomático, se um homem faz com que os controles de saúde correspondentes ao dia, é possível identificar sem problemas.

DIAGNÓSTICO DO HPV EM MULHERES

No caso das mulheres, essa doença costuma aparecer em uma citologia de rotina de existir ou não uma lesão. Por um lado, não há problema, já que, se uma mulher é responsável, ele vai fazer uma citologia anualmente, mas por outro, pode representar um risco por ser uma doença, geralmente, assintomática.

Uma vez que a citologia foi dado a uma alteração provocada pelo HPV, é feito o exame de Papanicolau para garantir e, em seguida, é realizada uma colposcopia em que se retiram as lesões que possam ter para assim poder examiná-las corretamente. Nesta última, é possível que se retire uma amostra da verruga. Dependendo de seu tamanho, vai pegando uma pequena parte com uma pinça, ou, eliminar com uma pequena cirurgia.

Embora a maioria dos casos ocorrem na vagina, é possível que também possam aparecer no ânus ou na cavidade bucal. Em tais casos, será notada em um exame mais minucioso que faça o próprio médico.

A maioria das lesões em mulheres ocorre na vagina.

TRATAMENTO

Em princípio, supõe-se que se deve considerar o HPV, uma doença crônica e, como tal, se apresenta o médico após o seu diagnóstico. Mesmo assim, não é de todo verdade, pois tudo vai depender do seu próprio organismo e da facilidade que tem para eliminar os agentes externos que põem em perigo a sua saúde.

Na maioria dos casos, como já dissemos, o HPV é eliminado pelo próprio organismo sem a necessidade de que o médico intervenha mais do que para controlar como você vai. Mas isso não tira para continuar fazendo controles, já que pode voltar a se manifestar. Não é algo que, uma vez acabado não pode voltar a aparecer em algum controle.

No caso dos homens, terão que seguir os passos indicados pelo médico, no caso de, por exemplo, se lhes for prescrito um antibiótico e, acima de tudo, que tomem as precauções necessárias na hora de manter relações sexuais. Uma vez que as lesões tenham acabado, e depois de uma última prova, pode-se dizer que o HPV tem acabado.

Menção à parte merecem as pessoas cujas lesões provocadas pelo HPV sejam mais graves e necessitam de uma intervenção para que não represente um risco para a sua saúde. Nestes casos, supõe-se que a operação são excluídas lesões que possam acabar derivando em problemas maiores e só restará esperar que o organismo elimine o HPV e controlar para que não haja uma nova reprodução de lesões.

Muitas vezes, a presença de lesões provocadas pelo HPV pode acabar levando-se em câncer de colo de útero, no caso das mulheres, ânus, no caso dos homens e, em ambos os casos, faringe causado por sexo oral. Nestes casos, o tratamento mudaria consideravelmente, mas já para tratar o câncer e não o próprio Vírus do Papiloma Humano.

Em qualquer caso, a melhor cura que pode ter esta doença é a prevenção. Para isso, há que evitar ter muitos parceiros sexuais e usar proteção sempre. O preservativo é uma das medidas mais seguras para prevenir o contágio. Evidentemente, se você levar anos com o seu companheiro e não estiver infectado, você pode recorrer a outros métodos, mas, em princípio, esse é o mais seguro.

Por outro lado, também existe outra forma para prevenir e é uma vacina. Esta foi administrada a crianças em torno dos 12 e os 14 anos, dependendo da opinião do médico e serve para evitar alguns dos tipos mais agressivos de HPV que podem existir. Mesmo assim, não devemos esquecer que se trata de algo preventivo, não garante, com segurança, que não se chegue a contrair esta doença sexualmente transmissível.

Home

Categories: Saúde

Tags: ,